Catarata

Catarata

DEFINIÇÃO:

  A catarata √© uma doen√ßa que se caracteriza pela opacifica√ß√£o do cristalino, a lente natural do olho, que √© respons√°vel pela focaliza√ß√£o da vis√£o. O cristalino encontra-se na parte anterior do globo ocular, logo atr√°s da √≠ris, a parte colorida dos olhos, sendo poss√≠vel examin√°-lo atrav√©s da pupila. √Č uma doen√ßa com alta preval√™ncia na popula√ß√£o mundial, e que aumenta com a idade, atingindo desde cerca de metade das pessoas com mais de 65 anos de idade, at√© praticamente toda a popula√ß√£o com 90 ou mais anos de vida. Apesar do tratamento altamente eficaz, e com isso ser uma condi√ß√£o revers√≠vel, √© a principal causa de cegueira em todo o mundo.

CAUSAS:

  O envelhecimento natural do cristalino √© a principal causa do desenvolvimento da catarata. Entretanto, pode se desenvolver desde o nascimento, ou ap√≥s trauma, inflama√ß√£o ocular, uso de medicamentos (ex: corticosteroides), determinadas doen√ßas oculares ou sist√™micas. Algumas condi√ß√Ķes s√£o relacionadas com a incid√™ncia da catarata, como o diabetes melitus, tabagismo e alta exposi√ß√£o √† luz ultravioleta, principalmente UVB.

SINTOMAS:

     Antes mesmo da redu√ß√£o visual, a catarata pode afetar de maneira significativa o contraste e a defini√ß√£o das cores. A identifica√ß√£o de atividades rotineiras, como por exemplo, escolher uma combina√ß√£o de cores e roupas pode ficar prejudicada. Emba√ßamento visual, altera√ß√£o constante do grau dos √≥culos, vis√£o de halos ao redor de objetos brilhantes e a presen√ßa de um tom amarelado ou amarronzado ao redor das coisas vistas tamb√©m podem ser sintomas de catarata. Alguns pacientes experimentam a melhora da vis√£o de perto, dependendo do tipo da catarata desenvolvida. √Č comum a percep√ß√£o do paciente que precisa ¬ďtrocar os √≥culos¬Ē, ou mesmo ¬ďfazer um √≥culos para ver melhor¬Ē, quando na verdade trata-se do desenvolvimento da catarata.

TRATAMENTO:

     O tratamento da catarata √© exclusivamente cir√ļrgico, e definitivo, ou seja, trata-se de cura para a condi√ß√£o.

     A moderna cirurgia da catarata √© totalmente automatizada (Facoemulsifica√ß√£o), e realizada por uma microincis√£o na c√≥rnea de cerca de apenas 2mm, auto-selante, n√£o sendo portanto necess√°rio o uso de suturas. Apesar de que alguns passos iniciais da cirurgia possam ser realizados opcionalmente com o aux√≠lio do laser de femtosegundo (a remo√ß√£o da catarata √© sempre feita pela Facoemulsifica√ß√£o), uma compila√ß√£o recente (revis√£o sistem√°tica) de importantes estudos n√£o evidenciou qualquer vantagem nisso.

     A anestesia √© feita por gotas de col√≠rio anest√©sico e seda√ß√£o controlada, visando conforto para o paciente durante a cirurgia. N√£o h√° qualquer sangramento durante o ato cir√ļrgico. Ap√≥s a remo√ß√£o da catarata, √© implantada uma lente intra-ocular, visando a substitui√ß√£o da lente natural do olho (cristalino), que foi danificada (catarata). As lentes s√£o flex√≠veis, e s√£o inseridas dentro do olho atrav√©s de mecanismos espec√≠ficos, de onde abrem e se modificam para a forma que ser√° posicionada dentro do olho para restaurar a vis√£o. Al√©m de n√£o ter qualquer tipo de inc√īmodo, o paciente n√£o percebe presen√ßa da lente, exceto pelo fato da recupera√ß√£o visual. N√£o h√° necessidade de troca da lente durante todo o decorrer da vida, independente da idade onde a cirurgia da catarata foi realizada.

     Com a evolu√ß√£o das t√©cnicas de exame e c√°lculos biom√©tricos (avalia√ß√£o do grau da lente a ser utilizada), √© poss√≠vel planejar a vis√£o do p√≥s-cir√ļrgico para independ√™ncia do uso de √≥culos, tanto para longe, quanto para a vis√£o de perto e intermedi√°ria. Apesar de grande previsibilidade, em raros casos pode ocorrer alguma varia√ß√£o do resultado final em rela√ß√£o ao planejado, onde temos a op√ß√£o de √≥culos corretores, ou mesmo de corre√ß√£o a laser (Excimer Laser) para graus residuais. Fatores individuais do olho a ser operado s√£o as principais causas dessa ocorr√™ncia.

     Ainda, aparelhos recentes fazem a marca√ß√£o digital do olho durante a cirurgia, aumentando a precis√£o no controle do astigmatismo, e tamb√©m na verifica√ß√£o precisa do eixo visual durante o implante de lentes intra-oculares multifocais. Esse planejamento √© feito de acordo com as caracter√≠sticas e necessidades do olho em tratamento, ap√≥s conversa e explica√ß√£o detalhada para o paciente das possibilidades, vantagens e expectativas de cada lente intra-ocular.

LENTES INTRA-OCULARES

     A escolha da lente intra-ocular √© muito mais complexa e importante do que apenas o fato de serem "importadas" ou "nacionais". Mesmo assim, na pr√°tica di√°ria, sempre utilizo exclusivamente as lentes importadas, mas por fatores al√©m do fato do seu local sua produ√ß√£o.

     Lentes Intra-Oculares Asf√©ricas versus Esf√©ricas: Como todo nosso corpo, os olhos apresentam algumas imperfei√ß√Ķes que n√£o podem ser resolvidas com o uso de lentes corretoras transit√≥rias (√≥culos). Nos nossos olhos, a superf√≠cie corneana perif√©rica √© ¬ďmais plana do que o esperado¬Ē, prejudicando a vis√£o para longe em locais de pouca luminosidade, quando a dilata√ß√£o da pupila esperada para essas ocasi√Ķes permitem que os raios de luz passem pela periferia da c√≥rnea em dire√ß√£o √† retina para serem direcionados ao c√©rebro e serem processados em vis√£o. Esses raios s√£o focalizados em posi√ß√£o anterior √† ideal, diminuindo a qualidade da vis√£o. √Č a chamada aberra√ß√£o esf√©rica. No adulto jovem, o cristalino faz essa compensa√ß√£o, que vai diminuindo com a idade ou mesmo acabando durante o processo de forma√ß√£o da catarata. As Lentes Intra-Oculares Esf√©ricas s√£o como o cristalino com certa idade, n√£o corrigem as aberra√ß√Ķes esf√©ricas. Por outro lado, podemos realizar a compensa√ß√£o dessa aberra√ß√£o com lentes especiais, as Lentes Intra-Oculares Asf√©ricas, melhorando a qualidade visual do paciente operado de catarata.


     
   Lentes Intra-Oculares T√≥ricas Asf√©ricas: Al√©m de apresentarem a vantagem da asfericidade, conforme explicado acima, possuem a habilidade de fazer a corre√ß√£o do astigmatismo que o olho possa apresentar, exceto em casos espec√≠ficos onde essa capacidade se reduz quando o astigmatismo encontra-se de maneira muito irregular por doen√ßas da c√≥rnea. A melhor precis√£o no seu uso √© obtida quando se faz a marca√ß√£o automatizada do astigmatismo durante a cirurgia. Isso porque quando o paciente deita para a cirurgia de catarata, o olho normalmente apresenta um movimento torcional, retirando o astigmatismo da sua posi√ß√£o correta. Esses equipamentos fazem essa corre√ß√£o, indicando ao cirurgi√£o o local correto do implante da lente t√≥rica, melhorando os resultados finais.

     Lentes Intra-Oculares Multifocais Asf√©ricas: As lentes previamente descritas apresentam um foco √ļnico (monofocais), e assim s√£o normalmente utilizadas para a corre√ß√£o da vis√£o para longe, e associando o uso de √≥culos para a melhor vis√£o de perto. Entretanto, existem lentes que permitem a independ√™ncia visual para longe e para perto, corrigindo tamb√©m a presbiopia, as Lentes Intra-Oculares Bifocais. Atividades di√°rias como assistir TV ou realizar a leitura de uma revista passam a ser feitas sem o aux√≠lio de √≥culos. Entretanto, a vis√£o intermedi√°ria, por exemplo, no uso rotineiro de um computador, n√£o √© completamente corrigida, tendo a necessidade de aproximar o objeto para um melhor foco. Esse problema foi corrigido com o advento das Lentes Intra-Oculares Trifocais, que apresentam, al√©m do foco para longe e para perto, um terceiro plano de vis√£o, para a dist√Ęncia intermedi√°ria, aumentando o alcance da vis√£o sobre as nossas necessidades di√°rias. Todas essas lentes intra-oculares multifocais esf√©ricas descritas acima apresentam sua vers√£o T√≥rica, destinadas aos pacientes que precisam tamb√©m da corre√ß√£o do astigmatismo corneano para obten√ß√£o dos mesmos resultados. 

     A adapta√ß√£o dos pacientes com as lentes intra-oculares multifocais n√£o tem rela√ß√£o com os sintomas muitas vezes acentuados relatados ao uso dos √≥culos multifocais. N√£o s√£o visualizados saltos ou varia√ß√Ķes na imagem, como, por exemplo, dificuldade ao subir uma escada, comuns com os √≥culos multifocais. Muitos pacientes n√£o passam pelo processo de neuroadapta√ß√£o com as lentes, que, quando ocorrem, s√£o geralmente restritos, por exemplo, √† visualiza√ß√£o de halos ao redor de um farol de carro, mas que tendem √† regress√£o ao longo do tempo. 




Postado por Dr. Leopoldo Magacho
//drleopoldomagacho.com.br/assets/js/ekko-lightbox.min.js">